Juanlogy é um blog pra compartilhar o que faço. Juan, vulgo HUR, é um artista marginal em conflito. Sujeito sentimentalista, possuí 20 anos de vida.
Na ideologia do faça você mesmo corta telas, escreve poesias, rabisca muros, monta fanzines e acredita no amor que as pessoas tem pra dar.


https://soundcloud.com/coletivovk

lojuann@gmail.com

Queria coca-cola, mas na mesa só um Dolly
Meio sem gás, sem reclamar deu seu gole
Reparou na televisão a abundância feminina
Bem diferente das mulheres do seu bairro
Tipo modelo de revista, nenhuma negra, é claro
Sensacionalismo nem em stand by
Nessas horas a varanda é um lugar de paz
E vai
Tira cigarro, puxa fumaça
No ato destrutivo o que mata traz calma
Mas e a alma?
Contas pagas, aluguel em dia
Fumo, cachaça, solidão, mas que agonia
No peito sangria, na noite de sexta cortaram a luz
Na rua, neblina faz suspeito no ato de se cobrir com capuz
Pensa que mesmo na morte não haveria diferença
Sem satisfação pessoal não quer nem chegar nos quarenta
Tenta, tenta, tenta… Sobrevive, se lamenta

Culpa dele ou do sistema?

Drogas, armas, futuro incerto ao cidadão
Doenças, falta de assistência, cultura consumista gera depressão
O dinheiro fácil chama atenção, puta, relógio caro, carrão
Gozar em qualquer praia sem reclamação de patrão
Na disposição, ajudar a família… Me diz se não é o tipo de vida que qualquer um queria?

Mas abre o olho
Nessas horas até agua de torneira purifica…

"Muita treta pra Vinícius de Moraes"

dantasraissa:

se podemos mudar, lutamos.

se podemos viver, contamos.

acima de nós, só os pássaros.

Desde ontem na produção dos fanzines “Versante” e “Perdi o Amor”. Poesias de Rafa Cristina em mãos… Pow! Sem palavras pra essa mina!

Poetisa mais pesada da leste trazendo beleza aos meus zines de rua.

E é claro que uma boa trilha sonora pra acompanhar né.

Rafa : http://poesia-vinho-e-flores.tumblr.com/

Procure pelos versos dela, não vai se arrepender.

"A poesia sempre vence!"

Mesmo com uma feia caligrafia
Conduzia um mundo em suas mãos
Onde o real
Se tornava a cada palavra escrita
Na mais simples imperfeição.

poesia-vinho-e-flores:

A noite esconde em vielas

Segredos

Que bruscamente

Tomam-te

Desejos

E sonhos

E medos

Além do material

São crias

De uma sociedade

Em que o

Importante

É banal

Quem os julga

Quem os entende

Quem os procura

Quem os atende

Fatos:

Nunca passados

Em jornalismo policial

stoplelepipedo:

O vento
Têm se tornado um problema
Enquanto organizo meus sonhos
O barulho da chuva e do granizo
Passam pela janela
Na faixa de pedestres
Aquela da esquina do sono
Atravessam vendedores de
Realidades alternativas
À quem os chame de poetas

poesia-vinho-e-flores:

Margaridas

Amargas idas

Amar as vindas

Esperas naufragam

Mar de dias

-do verbo haver

poesia-vinho-e-flores:

Busca e apreensão:

quando se busca

um olhar

que  apreenda

o coração 

XXYYXX - Closer

 

Do novo zine “Recortes Insanos de Revistas Hipócritas”…